Aquela janela

Alguém acompanhava meus passos,
Displicente não havia visto aqueles olhares,
Estava sendo observando por uma janela,
Seguindo-me por todos os lugares,
Até perceber aquela criatura tão bela,
Que como cego não tinha observado ainda,
O quanto era uma menina linda.

Parecia inocente, carente,
Um ser puro e transparente,
De um sorriso lindo, apesar de tímido,
Querendo algo mais que um simples beijo,
Carregando no coração sonhos e desejos,
E entre esses sonhos estava eu,
Como objeto de um desejo seu.

Antes mesmo que tivesse um começo,
O que foi planejado não foi concretizado,
Quis o destino que ficássemos separados.
Mas voltando a cidade certo dia, pensando nela,
Fiquei perto da janela, somente para olhar pra ela,
Ficando a frustração do que poderia ter acontecido,
Porque o tempo passou, tudo mudou, ela tinha um marido.

Nenhum comentário:

Postar um comentário